Biologia reprodutiva

Sistema de acasalamento

Os muriquis possuem sistema de acasalamento promíscuo [1]. Usualmente cada fêmea copula com vários machos, uma vez que os machos não competem diretamente por fêmeas [2]. No entanto, pode existir competição espermática [3].

Vídeo: muriquis-do-sul copulando (Antonio Silveira, YouTube).

Tempo de gestação e intervalo entre nascimentos

Em muriquis-do-norte, a gestação dura, em média, 7,2 meses e o intervalo entre nascimentos de filhotes é de cerca de três anos [4], embora variações regionais em função de condição de hábitat provavelmente ocorram [5].

(Fig. 1) Fêmea de muriqui-do-norte com filhote | Foto: Pablo Fernicola (Wikimedia Commons)

Número de filhotes por gestação

Geralmente nasce um filhote a cada gestação, que é carregado exclusivamente pela fêmea até os oito meses de vida em contato ventral, depois permanecendo em suas costas até o desmame, mas este padrão pode variar entre fêmeas e populações [6]. Há registros de nascimento de gêmeos para ambas as espécies [7]. Nestes casos, observou-se que para o muriqui-do-norte, devido ao alto custo energético para a criação de ambos os filhotes, apenas um sobreviveu [8]. Entretanto, para o muriqui-do-sul já foi acompanhada a sobrevivência de filhotes gêmeos [9].

Idade da primeira reprodução

Machos e fêmeas, a partir dos 5 anos, já possuem condições físicas para terem as primeiras cópulas. Com essa idade, os machos podem apresentar esperma em suas cópulas [10] e uma fêmea com idade similar foi observada copulando [11]. As fêmeas só têm seus primeiros filhotes pelo menos dois anos após se juntarem a um novo grupo social — assim, a maioria das fêmeas tem o primeiro filhote com cerca de 9 anos, embora, geralmente, tenham começado a copular um ou dois anos antes do primeiro nascimento [12].

(Fig. 2) Fêmea de muriqui-do-norte com filhote nas costas | Foto: Mônica Imbuzeiro (Wikimedia Commons)

Período de nascimentos

Para Brachyteles hypoxanthus, os nascimentos se concentram nos meses de seca, de maio a outubro, com pico de junho a agosto [13].

Tempo de lactação

As mães muriquis amamentam seus filhotes por cerca de dois anos (figura 25). A partir daí elas iniciam o período de desmame, que tem duração de quatro a seis meses [14]. mas, assim como vários outros aspectos da historia de vida, este prazo de amamentação pode variar [15].

Notas

[1] Strier, 1986 | [2] Strier, 1997; Possamai et al., 2007 | [3] Nishimura et al., 1988; Strier, 1996a | [4] Strier & Ziegler, 1997 | [5] Strier, 1996b; 2005; Strier et al., 2002 | [6] Guedes et al., 2008 | [7] Martins et al., 2007 & Talebi, obs. pess. | [8] Martins et al., 2007 | [9] Talebi, obs. pess. | [10] Possamai et al., 2005 | [11] Martins & Strier, 2004 | [12] Strier & Ziegler, 2000; Strier et al., 2002 | [13] Strier, 1996b; Strier et al., 2001b | [14] Strier, 1986 | [15] Guedes et al., 2008.

[Reproduzido do Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Muriquis, conhecido como PAN Muriqui, publicação do ICMBio de 2011. O PAN Muriqui pode ser acessado clicando-se aqui.]